Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desabafos de uma mulher dos anos 80...

"A vida em constante mudança..."

Desabafos de uma mulher dos anos 80...

Sab | 24.10.15

Não passo do mesmo...

Butterfly

Eu não posso ser normal...A sério. Eu devo ter algum "complicómetro", um "baralhómetro" ou "confusómetro" e tudo terminado em... "ómetro", dentro de mim. Não era muito mais fácil termos um botão "on" e "off" para os sentimentos? Seria muuuuito melhor e muito mais prático. Há sentimentos e/ou sensações que não considero serem justos e isso aborrece-me, neste momento chega até a enfurecer-me. O que se passa comigo?! Não compreendo. E parece-me que nem vale apena tentar entender, fico ainda mais confusa. Tento arrefecer, concentrar-me no que é correcto e na verdade dos meus sentimentos, mas logo de seguida vem o outro atrás que passa pelo que é correcto e justo. Serei sempre assim?! Sempre senti que tudo estava mais que resolvido, e passado este tempo todo...começa a fazer-me alguma diferença?! Mas porquê? Tenho vivido estes últimos tempos de forma muito serena, tranquila, com a certeza de que fiz a escolha correcta. A escolha do meu coração. A escolha diária que o meu coração pedia. Neste momento, sinto que o meu coração não se sente completo, a minha cabeça não está a conseguir ocupar os pensamentos com a pessoa de quem gosto, e isso pode estar a dar azo a outras situações que julgava não serem possíveis. Não porque não tenha lutado contra isso, não porque não o tenha chamado a atenção disso, mas sim porque simplesmente não tem mais tempo disponível para dar a esta relação. E eu... eu tenho tempo. Eu quero o tempo. Eu penso no futuro. Eu quero o futuro. Será por isso, ou serei eu a inventar desculpas para estes pensamentos que me estão a começar a incomodar? Tenho mesmo saudades de ter uma relação que me ocupe a cabeça por completo. Alguém com quem posso estar diariamente, encontrar-me 10 minutos antes de jantar, combinar jantares de última hora, adormecer no sofá com a TV ligada, irmos para a cama sem nos lembrarmos... Fazermos sessões de cinema ao fim-de-semana e "empaturrarmo-nos" de guloseimas... Que saudades... Sou uma saudosísta chata, com um turbilhão de sentimentos, bons e maus. Apetecia-me sair de casa e fazer o que me dá na gana uma vez na vida. Sem ter que pensar que me vou magooar depois, e pior, que vou magooar outras pessoas. Não posso nem consigo ser egoísta a esse ponto. Mas sim. Era isso mesmo... Libertar-me de tudo isto que aqui vai dentro...