Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de uma mulher dos anos 80...

"A vida em constante mudança..."

Desabafos de uma mulher dos anos 80...

05.11.15

(Desabafos)

Butterfly
Procuro ficar bem... Mas neste momento tenho imensas coisas a preocuparem-me. Estou a perceber que o momento de de agir está a chegar, e pelas primeiras vezes isso está a fazer-me sentir contraída... Evito pensar sobre o assunto. Apetecia tê-lo aqui e pousar a minha cabeça no seu colo. Impossível. Não está, e além de não estar prepara-se para ir trabalhar para fora durante uma semana e meia. Preparativos para essa semana e muita agitação. Incomoda-me. Fica difícil de gerir (...)
24.10.15

Não passo do mesmo...

Butterfly
Eu não posso ser normal...A sério. Eu devo ter algum "complicómetro", um "baralhómetro" ou "confusómetro" e tudo terminado em... "ómetro", dentro de mim. Não era muito mais fácil termos um botão "on" e "off" para os sentimentos? Seria muuuuito melhor e muito mais prático. Há sentimentos e/ou sensações que não considero serem justos e isso aborrece-me, neste momento chega até a enfurecer-me. O que se passa comigo?! Não compreendo. E parece-me que nem vale apena tentar (...)
22.10.15

A galinha da vizinha é sempre melhor que a minha...

Butterfly
Será que posso aplicar o provérbio "a galinha da vizinha é sempre melhor que a minha?". Os homens nunca estão satisfeitos. Por vezes questiono-me se serei uma eterna insatisfeita, mas em boa verdade vejo que a geração dos anos 80 (homens ou mulheres) é assim. Nós fazemos, esforçamo-nos, mas nunca é o suficiente. Se foi feito duma forma, deveria ter sido de outra. Se colocámos o objecto aqui, deveria ter sido ali. Se estivemos, podiamos ter ido sem problema. Se fomos, não (...)
20.10.15

Vendar os olhos...

Butterfly
Apetecia-me... Apetecia que me vendasse os olhos, não pensar em nada e apenas sentir. Que o silêncio reinasse o espaço e apenas... sentir. Olhos fechados, vendados, sem hipótese a mais pensamentos e sentir.
07.10.15

Pessoa certa, kilometros errados.

Butterfly
Não sei mais que pensar... Não sei se sou eu que exagero, não sei se sou eu que estou cheia de mau feitio. Mas sei que apesar dos meus defeitos fui eu quem consegui manter uma relação de 7 anos com outra pessoa. E tu? Estamos a começar a entrar em acusações. A distância só nos está a trazer destas coisas, e para mim está a ser cada vez mais difícil de a aceitar. Apesar de em muitas coisas aparentares ser uma pessoa madura, nesta coisa das relações ainda te falta um longo (...)
05.10.15

Quem eu quero.

Butterfly
É impossível ficar mal contigo. Reclamo, chateio-me, mas no fim... no fim sou incapaz de te virar costas. Mexes comigo de tal forma que chega a doer. O teu sorriso mal me vês, o teu toque em mim... o teu abraço e a preocupação que demonstras quando estamos juntos, ultrapassa qualquer sentimento menos bom em mim. Tudo isso ainda consegue ser superior aos momentos em que me sinto triste por não te ter todos os dias. Tudo isso ainda me faz ficar pedrada a pensar em ti e em nós. Como (...)
03.10.15

Sem paciência!!!!!!!!!!!!!!!!

Butterfly
Sinto-me sem paciência. Parece que estou a falar chinês e tu finlandês. Que raio se passa? Sim, eu confesso-me sem paciência. Estou cansada de te ter desta forma. Quero tudo ou não quero nada. Não sou de copos meio cheios. Atravesso uma fase menos positiva na minha vida, algumas preocupações, não tenho o teu abraço ao final do dia, e tu? Que fazes tu? Apercebest-te?! Não, não te apercebes. Parece que nos estamos a perder. Custa-me horrores dizer isto, mas é a verdade. Queres o (...)
01.10.15

Outra vez... NÃO!!!

Butterfly
Outra vez NÃO! Por favor, outra vez não... Serei eu a culpada por estas coisas me acontecerem? Agora finalmente que estou com a pessoa de quem gosto, e em boa verdade, de quem parece que sempre gostei... Eis que chega o momento do meu ex-namorado dar sinal de vida, preocupando-se comigo! O 1.º SMS, sim, ok, foi normal... Soube que estava doente, até compreendo... Se fosse eu talvez fizesse o mesmo... Mas... outra vez? Parece que eu atraio isto. Fez-me confusão. Mas porquê? Passado (...)